Doenças cardiovasculares e Nutrição!


Estima-se que, no mundo, a primeira causa de morte esteja relacionada a doenças cardiovasculares. Existem alguns fatores que interferem nessas doenças, que não podemos modificar, como predisposição genética, idade e sexo. Porém, hoje, já sabemos que os fatores comportamentais, em sua maioria, são os maiores determinantes para que eventos fatais ocorram. Quais são esses fatores? Padrão alimentar, sedentarismo, tabagismo e consumo alcoólico, que desencadeiam fatores biológicos como dislipidemia, hipertensão arterial, sobrepeso e hiperinsulinemia.


Quanto mais fatores de riscos somados, maior a probabilidade de ocorrência de doenças cardiovasculares.


Exercício Físico e Doenças Cardiovasculares


Os exercícios físicos contribuem de forma consistente para a redução de eventos cardiovasculares, pois proporcionam melhora no gasto calórico, adequação do peso corporal, melhora no controle do estresse mental.


Unir exercícios de força com exercícios aeróbicos trazem benefícios de forma completa para o corpo. O primeiro aumenta a massa muscular, aumentando a taxa metabólica basal, com isso gastamos mais energia mesmo quando estamos em repouso. O segundo melhora a capacidade cardiovascular e redução da gordura corporal.


Alimentação e Doenças Cardiovasculares


E a alimentação como fica nessa questão toda? Ela contribui de várias maneiras. Por exemplo, dietas ricas em calorias, sódio e gorduras saturadas e trans possuem uma forte relação com a doença coronariana e são fatores para o desenvolvimento da aterosclerose. O que é isso? As veias podem ficar “entupidas” e possibilitar AVC ou infarto, por exemplo.


E o colesterol alto, o que tem a ver com a comida? Quando fazemos exame de colesterol estamos vendo os transportadores de gorduras e colesteróis no nosso sangue, temos os transportadores que distribuem essas gorduras para o corpo, que são os LDL’s e temos o transportador que faz a “faxina”, pegando o que ninguém quis de gordura e devolvendo para o fígado, é o HDL. Então se estamos com muito LDL e pouco HDL, a grosso modo, teremos mais “sujeira” circulando no sangue. As gorduras saturadas e trans como de carne com gordura, leite integral e pele de frango e produtos industrializados como biscoitos, sorvetes e outros, aumentam o LDL e gorduras boas como azeite de oliva, sementes, abacate e castanhas ajudam no HDL.


Além disso, podemos ver os triglicerídeos que transportam gordura proveniente tanto do consumo de gordura quanto de carboidratos que não foram usados para gerar energia e foram transformados em gordura para serem armazenados no nosso corpo. E daí? E daí que o tipo de gordura que comemos, a quantidade de calorias e carboidratos que ingerimos, se comemos comida inflamatória ou anti-inflamatória interferem na formação desse conjunto de transportadores de colesterol.


Comer muita gordura saturada somada à falta de consumo de verduras e frutas que são super anti-inflamatórios e além disso, farinhas brancas que aumentam muito a glicemia e consequentemente os triglicerídeos representam a receita perfeita para iniciar ou perpetuar doenças do coração e das veias.


O problema não é somente o colesterol estar alto, a inflamação de baixo grau provocada pela má alimentação pode estimular o sistema imune e com isso formar células espumosas que irão se sedimentar nas artérias e veias entupindo os vasos sanguíneos e causando AVC e infarto. A quantidade e a qualidade da comida têm de ser adequadas. Lembrar que o excesso de caloria será armazenado como gordura e o tipo de comida, se natural ou industrializada, irá interferir no metabolismo, ou seja, na forma como o corpo lida com o que ingerimos.


E a pressão alta, será que a comida pode influenciar de forma positiva ou negativa? Siiiiim. Todo mundo já sabe que o sal aumenta a pressão. Tá, então é só eu diminuir o sal da comida e pronto. Não. Os produtos industrializados são ricos em sódio (que faz parte do sal, cloreto de sódio), alguns adoçantes também contêm este mineral e temperos prontos. Então muito cuidado com produtos ultraprocessados, os que geralmente duram muito tempo e vêm em embalagens industriais. E é só o sódio? Não. Esquecemos muito do potássio e do magnésio, que são minerais que ajudam a controlar a pressão. Onde eles estão? Principalmente em frutas e verduras, mas também se escondem nas sementes e castanhas.


Remindo: não tem segredo! A coisa é mais simples do que muita gente pensa. É só comer menos sal, reduzir ou até cortar o consumo alcoólico, não fumar, comer frutas e verduras, azeite de oliva, sementes e castanhas com moderação. Fazer exercícios sempre que possível. Poxa, mas estou longe disso, tô ferrado então? Não, pera ai. Você pode começar a fazer as mudanças aos poucos, um passo de cada vez. E, além disso, eu estou aqui para de dar a mão e te ajudar a alcançar a saúde que você merece. Conte comigo!!!

Por: Luciana Borges CRN: 12912⁣⁣⁣⁣⁣⁣

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo